Eliant é para pessoas que querem viver com a diversidade cultural e liberdade de escolha na Europa:

em matéria de educação, reformas económicas e sociais, agricultura ecológica, complementares e Medicina Integrativa.

Europa – um espaço cultural para o desenvolvimento individual

A Europa corre o perigo – atualmente agudizado pela crise dos refugiados – de ficar dilacerada entre o Oriente e o Ocidente, bem como pela permanente crise financeira. É necessária uma nova visão para uma ideia europeia de conteúdo robusto, apoiada pela diversidade e riqueza cultural, e que possa atuar de modo eficiente e organizador nos focos de crise que se multiplicam. A Europa não é apenas uma união económica. Através das suas raizes crísticas e culturais, e da sua história marcada por guerras e desastres humanitários, ela tornou-se uma verdadeira comunidade de valores. O anseio humano universal por um desenvolvimento pessoal livre, e uma vida em justiça social, encontra aqui de modo especial um espaço de proteção e promoção. A igualdade entre homens e mulheres, a tolerância ativa no sentido de diferentes etnias, culturas e crenças religiosas, conforme estão em contínuo desenvolvimento nos países-membros, transformam este espaço cultural em um bem extremamente precioso. Mas a ideologia de um desenfreado crescimento monetário e económico está a tornar-se cada vez mais incompatível com as formas de vida saudáveis ​​para as pessoas e para a natureza. A vida é feita de uma composição de devir/perecer/crescer/estagnar/renunciar, tudo no devido momento e no lugar certo. Vamos portanto também nós ajudar a Europa a estar à altura do seu desenvolvimento – inclusive como inspiração para outros povos!

A ELIANT dedica-se ao contínuo desenvolvimento desta cultura europeia específica. No domínio da biodiversidade e saúde do solo: através da agricultura biológica e biodinâmica e da pesquisa de sementes; nos campos científicos: promovendo o pluralismo dos métodos; e no campo jurídico: fomentando a criação de condições básicas que permitam desenvolvimentos individuais e que assegurem as necessárias possibilidades de escola. A liberdade de escolha de nada serve se, por exemplo no campo da medicina, os regulamentos oficiais atuam de fato como impedimento para a medicina complementar, e medicamentos essenciais não estão mais disponíveis em toda a União Europeia.